• Domingo, 21 de Outubro de 2018
  • Porto Feliz - Bom dia

O que te interessa?

Videos_01

O que te interessa?

O interesse é uma determinação psíquica ligada a várias instâncias da nossa mente.  Inevitavelmente, o interesse é ligado ao juízo, sendo assim, pode trazer benefícios ou causar mal. Também definir o que nos interessa vai delimitar facetas da nossa condição moral. O interesse é diferente da motivação, ele vai além dela. A motivação é a força que nos move. O interesse já envolve uma escolha,  força de vontade, em função de um objetivo. O interesse é a capacidade que faz as descobertas acontecerem e o mundo evoluir. No entanto, se não for bem usado, pode nos machucar ou mesmo nos destruir.

A curiosidade em responder as questões é que faz as pessoas pensarem e agirem buscando compreender e modificar o mundo conforme aquilo que desejam. Na sua composição, aquilo que nos interessa sempre envolve o valor que damos a uma questão, porque ele está diretamente ligado a função mental do  juízo crítico.

Para entender como o interesse é despertado nas pessoas, citarei algumas áreas para exemplificar a situação.

No caso da educação, vemos e ouvimos muitas discussões entre os professores para despertar o interesse em seus alunos nas matérias e temas apresentados. Nesse âmbito, é mais simples conseguir isso trazendo questões atuais, do cotidiano do aluno, para que a informação transmitida faça sentido para ele. Deste modo é mais fácil perceber o valor daquela informação. Em física, química, biologia, os alunos gostam muito das feiras de ciências por conseguirem se envolver com a matéria, testando em experimentos práticos as teorias apresentadas. Na educação de adultos, vemos aulas de português e matemática descrevendo situações do cotidiano dessa pessoa. Vemos o bom exemplo da educação experimental trazendo muitos benefícios por conseguir despertá-lo. A renovação constante, atualizando a linguagem usada, utilizando novas tecnologias, auxilia a manutenção do interesse dos alunos dentro do perfil atual encontrado. Os aprendizes estão inseridos em uma realidade que exige essa atualização.

O interesse está ligado ao prazer. O prazer é o motivador que nos fará buscar algo que possa ser satisfatório. Sendo assim, na educação, resolver problemas que “façam sentido na vida do aluno” torna-se prazeroso para ele e o faz permanecer interessado no tema.

Em um espectro psicológico maior, o interesse está ligado em como formamos nosso caráter. Aquilo que nos interessa pode determinar o limite de sermos uma pessoa ética ou não. Como já disse, nossos interesses estão diretamente ligados aos valores que damos as situações.

O interesse individual pode ser positivo quando buscamos melhorias e crescimento sem prejudicar aquele que está a nossa volta. Quando você deseja algo, deve perceber os limites dessa ação. Buscar algo a qualquer custo, certamente causará mal às outras pessoas.

Nas amizades vemos isso de diversas maneiras, como: a pessoa se aproxima da outra por gostar dela e desejar a sua amizade. Isto é um interesse positivo; mas se a pessoa se aproxima de alguém para querer se aproximar de uma outra pessoa, sem valorizar a primeira, pode simplesmente estar ‘usando’ esta primeira. Quando a pessoa “faz amizade” com outra de fora da cidade só para conseguir ter onde ficar (amigo-hotel), quando cria esse vínculo com alguém só porque ela tem carro (amigo-táxi) ou por aquele que traz benefícios financeiros (amigo-caixa eletrônico) são interesses de aspecto negativo.

No interesse individual, devemos buscar temas que nos façam crescer e evoluir dentro de uma ética. O importante é não ultrapassar o limite da outra pessoa, o respeito. Buscar aprender sempre, ter a nossa mente aberta a um mundo que não se limite ao nosso ego.

Devemos também aprender a diferenciar o que são questões de interesse particular e público. Quando a pessoa exerce um papel que representa outras pessoas, ela não deve se apegar ao que é interessante pessoalmente, mas ao que interessa à maioria dos que ela representa. O bem comum é o valor que deve estar envolvido nas escolhas daquilo que é interessante ao público. 

Esse conceito do que é público permeia tanto cargos como gerentes, diretores empresariais assim como aqueles que estão envolvidos politicamente. Sempre que represento outras pessoas, o meu desejo, o meu ego não é a primeira instância a ser satisfeita e sim o desejo da maioria daquilo que represento.

Portanto, o interesse é algo que deve ser olhado com muito empenho. Nem tudo que é estimulante e motivador deve ser transformado em objeto de interesse e, assim, desenvolvido. Nem tudo o que desejamos nos é permitido realizar. 

Repense seus interesses e objetivos, veja quais estão fazendo você evoluir como pessoa. Veja se não está desperdiçando tempo, energia em algo que não tem valor. Não use o interesse para se prejudicar ou prejudicar outras pessoas.

Evolua sempre! A psicologia está aqui para nos ajudar!

Comentários