• Quarta-Feira, 19 de Dezembro de 2018
  • Porto Feliz - Bom dia

Porto Feliz

Minha idade. Não, não falta um "c".


Todo mundo pergunta qual a minha idade e o ano em que nasci. Tenho sim uma data oficial, quando todos comemoram. Mas eu não nasci em 13 de outubro de 1797 e é aí que as coisas se complicam! Como posso ter nascido em 1797 se a Igreja Matriz Nossa Senhora Mãe dos Homens foi fundada em 9 de outubro de 1750?

Bom, é melhor eu contar tudo - ou quase tudo - que lembro do meu passado. 

Viajando pelo tempo, volto ao ano de 1693 e vejo uma família com seus amigos chegando aqui para tomar posse de uma Sesmaria. O proprietário natural de Santana do Parnaíba chama-se Antonio Cardoso Pimentel e formou uma fazenda que, com o passar dos anos, construiu uma pequena capela dedicada à Nossa Senhora da Penha. Ao redor desta capela, com o tempo, nasceu um pequeno vilarejo. Tenho, para mim, que nasci neste dia, não sei.

Tenho nas minhas memórias que em 1626, o governador do Paraguay Céspedes Xeria embarcou no Porto aqui existente a caminho do Paraguay pelas águas do velho Tiete. Aliás, este governador também quis me dar um nome: Nossa Senhora de La Tocha.

Também tenho lembranças de uns anos antes - por volta de 1554 ou 1556 - (como não tenho documentos, essa lembrança tenho que chamar de lenda) esteve aqui um Jesuíta chamado José Anchieta que naufragou um pouco abaixo do Porto na Cachoeira de Avaranduaba. (dizem que foi um dos primeiros milagres de Jose de Anchieta que foi salvo por um índio e saiu totalmente seco do fundo do rio)

Continuando a viagem ao passado, muitos anos antes, já moravam aqui índios Guaianases, pacíficos, e foram eles que deram meu primeiro nome: PORTO DE ARARITAGUABA - nome indígena que quer dizer "local onde a arara bica a pedra". A causa? Um paredão que existe no Parque das Monções onde as araras bicavam a pedra para construírem seus ninhos nela.

Falando em Paredão, outro dia fiquei sabendo que aquele Paredão (que é chamado de Paredão Salitroso) foi o fundo fundo de um mar. Imagine só, eu já abriguei um mar em uma das eras glaciais do nosso planeta há mais ou menos 400 milhões de anos. Puxa vida, sou antiga mesma, não é a toa que me chamam de cidade histórica!

Mas, voltando ao século XVIII, um tempo muito difícil, vejo um pequeno vilarejo muito pobre, com agricultura de subsistência e, de repente, um Bandeirante chamado Pascoal Moreira Cabral descobre ouro em Goias e Mato Grosso. Ai sim entro para historia do Brasil, com o início das Monções, que partiam do meu Porto. Meu Porto Feliz.

Todo o resto, você encontra nos livros de história. Obrigada pela visita.


Lourdes Kerche do Amaral

Turismóloga